Portal Cultural

Home
Voltar

Débora di Sá

aquarela-debora-1771231.jpg

Débora di Sá canta:

Pirenópolis

letra/melodia: Tainá Pompęo

Player

Bailarina

letra/melodia: Tainá Pompęo

Player

Minha mamăe

letra/melodia:

Player

Fotos:

  • foto01-31319310.png
  • foto02-13953.png
  • foto03-18151813.png
  • thumb-3-131714219.jpg
  • thumb-2-1321224.jpg
  • thumb-1-1311010.jpg
cantora-debora-di-sa-2152312.jpg

Sobre Débora di Sá:

Perfil

Cantora, compositora, atriz e circense, Débora sempre impressiona o público que acompanha suas apresentações ao vivo, pela sua intensidade, presença de palco e uma refinada técnica vocal. Formada em Canto no Instituto de Artes da UFG, em 2000 gravou seu primeiro CD “O Universo do Sr. Blan Chu” com a banda Sr. Blan Chu, ao lado de Du Oliveira. Como interprete principal da banda Senhor Blan Chu, o trabalho de Débora di Sá alcançou boa repercussão de público e crítica, tendo sido aquele CD premiado como "CD revelação" pelo site de música da Globo.com (Tudo da Música), em 2001.

 

Defendida por Débora de Sá, a música "Vapor e língua" foi finalista do I Festival IBM de MPB pela internet (E-festival), também em 2001, tendo ficado em segundo lugar geral no festival. Débora de Sá teve sua performance destacada pela crítica especializada, o que pode ser comprovado pelas elogiosas referências constantes no site http://expresso2222.terra.com.br, do compositor Gilberto Gil. Também em 2001 recebeu a Comenda Colemar Natal e Silva e o Diploma de Destaque Cultural 2001.

 

Carreira

 

Com ampla experiência de palco, Débora di Sá já atuou frente a grandes públicos como os do Festival Internacional de Cinema Ambiental (FICA), Canto da Primavera, Fórum Goiano Sobre Cultura, Canto de Ouro, além de participar no show de Toquinho e João Bosco, no Via Funchal (SP), em 2001, como parte da programação oficial do Festival IBM de MPB, Pré-Amp em Recife-PE, Fesivais de Fortaleza-CE e Bonito- MS. Como atriz, Débora atuou em operetas como “Juriti”, de Viriato Correa e Chiquinha Gonzaga; “Guerras do Alecrim e Manjerona” e “Anfitrião”, de Antônio José da Silva e Antônio Teixeira; “Ópera do Malandro” de Chico Buarque, os recitais “Operetas com a Graça de Deus”, “O Judeu” e “O Cancioneiro de Armênia”, dirigidos por Demétrio Pompeu de Pina, “Musycal Profano”, “Cabaré Goiano”, “Puro Brasileiro” e “Puro Ouro Brasileiro” de Marcos Fayad, além de participar da peça “Chapeuzinho Vermelho”, dirigida por Luiz Pinheiro e “Despertar da Primavera” de Constantino Isidoro unindo música e teatro Débora de Sá compôs as músicas, que integram a peça musical “O Circo dos Amores Impossíveis”, em parceria com o poeta Itamar Pires e com ele idealizou o espetáculo, montando o roteiro e fazendo a concepção geral. O musical estreou no primeiro semestre de 2010 e foi selecionado para participar no Goiânia em Cena e do TENPO. Fazendo parceria com a atriz e diretora Lua Barreto, compôs e dirigiu as trilhas sonoras das peças “A Peleja do Cérebro com o Coração” e “O que Teria na Trouxa de Maria”. Esse ano, finaliza a gravação do seu primeiro cd e DVD solos “Pequeno Projeto de Poema Franco”, com músicas próprias, além de interpretar canções de outros compositores. 

Informações disponibilizadas pelo próprio artista e/ou sua produção.